Vacina contra o Covid-19

Falta de sedativo pode colocar em risco pacientes de Covid-19 em Divinópolis e região

As Secretarias de Saúde das cidades do Centro-Oeste estão monitorando os estoques de anestésicos e sedativos para tratamentos médicos nas Unidades de terapia Intensiva (UTI). A escassez dos insumos pode colocar em risco os pacientes internados nas unidades públicas. Em alguns municípios, o estoque já está baixo.

A falta dos anestésicos tem sido registrada em algumas cidades mineiras justamente pelo fluxo intenso de pacientes, e o aumento de casos de Covid-19 fez crescer ainda mais a demanda dos itens que são fundamentais tanto para exames e cirurgias quanto para pacientes internados em leitos de UTI para tratamento do coronavírus.





Segundo o médico infectologista de Divinópolis, Lécio Vasconcelos, os anestésicos são fundamentais para sedação e o bloqueio neuromuscular do paciente, para evitar que o músculo se contraia, por exemplo, no processo de intubação.

Leia também: Máscaras, álcool e a falsa sensação de segurança

“Os pacientes que necessitam de ventilação mecânica precisam estar sedados. Esses medicamentos fundamentais nessa sedação. Não adianta ter respiradores e profissionais, se não tiver os medicamentos que façam as pessoas dormirem para suportar o desconforto que é a intubação orotraqueal. Esse processo necessita dessa sedação, por isso, a falta de sedativos, coloca em risco esses pacientes”, explicou o médico.

Veja a situação no Centro-Oeste

Na região Centro-Oeste as Secretarias de Saúde estão monitorando a falta dos anestésicos segundo alguns secretários, como Amarildo Sousa, que está à frente da pasta em Divinópolis, os valores dos insumos estão mais altos e já estão em falta no mercado, no entanto, a situação em Divinópolis quando ao estoque segue controlada, segundo o secretário.

A assessoria de comunicação do Complexo de Saúde São João de Deus em Divinópolis informou que o estoque no hospital também está controlado, mas a instituição já registrou dificuldades na compra de novos sedativos e anestésicos.

A provedoria do Hospital Manoel Gonçalves, em Itaúna, disse que o estoque de anestésicos e sedativos está baixo. As equipes planejam as próximas compras para que os produtos não faltem na unidade.

Em Nova Serrana, a secretária de Saúde, Glaucia Sbampatto, disse que a situação está tranquila porque a cidade tem estoque. A próxima compra deve acontecer em 30 dias.

No município de Formiga a Secretaria de Saúde informou que a situação está sob controle e que os insumos são suficientes.

A assessoria de comunicação do Hospital Nossa Senhora da Conceição de Pará de Minas tem um estoque baixo de sedativo e anestésicos neste momento.

A assessoria de comunicação da Prefeitura de Oliveira informou que no momento tem estoque de anestésicos e sedativos.

Fonte: G1

Leave a Reply