Transporte Coletivo em Divinópolis

Decreto autoriza a condução de passageiros em pé no transporte público em Divinópolis

Os ônibus do transporte público em Divinópolis podem voltar a transportar passageiros em pé. A medida foi autorizada pelo Prefeito Galileu Machado (MDB), por meio do decreto nº 13.888, publicado nesta segunda-feira (10).

Desde março, o transporte público estava proibido de circular na cidade excedendo a capacidade de passageiros sentados. Conforme o novo documento, fica autorizado a condução de passageiros em pé limitada a 50% da capacidade do veículo.





Contudo, desde o início da pandemia, o número de pessoas transportadas dentro dos ônibus na cidade tem gerado polêmica. Em maio, o G1 noticiou que o Consórcio TransOeste, responsável pelo transporte público de passageiros em Divinópolis, tinha recebido 128 multas por descumprir as medidas de prevenção ao coronavírus impostas pelo Decreto Municipal na época.

Entenda o caso

As restrições de passageiros começaram no inicio de abril, quando a Prefeitura começou a liberar alguns setores do comércio para voltar a funcionar. Na ocasião, o Executivo divulgou que a Secretaria Municipal de Transportes (Settrans) estava fazendo fiscalizações nos meios de transportes na cidade.

No mesmo mês, um ofício assinado por sete vereadores foi enviado à Mesa Diretora da Câmara. O documento pedia que o Consórcio TransOeste tomasse providências sobre as medidas de prevenção ao coronavírus.

Na época, os parlamentares redigiram o documento baseado nas denúncias de superlotação em horários de pico no transporte público e em vídeos, ambos por meio de redes sociais.

Ainda em abril, medidas preventivas, incluindo as limpezas dos veículos foram reforçadas pelo Consórcio Transoeste, que é composto por três empresas. No entanto, no mesmo mês a concessionária recebeu mais de 100 multas devido o descumprimento de limite de passageiros transportados.

Na ocasião, o secretário municipal de Trânsito, Marcelo Augusto, falou com sobre a aplicação de multas feitas ao Consórcio.

“Nós não temos que colocar três ônibus, um atrás do outro, para o mesmo destino. Temos que fazer um controle do sistema. A quantidade de ônibus que nós temos hoje é suficiente para transportar a quantidade de passageiros da demanda do dia. Nos horários de pico, por exemplo, temos colocado reforço dos ônibus, justamente, para evitar que as linhas transitem com excedentes”, explicou.

O Secretário destacou, no entanto, que o problema não era somente de responsabilidade da empresa.

Copyright © G1

Leave a Reply