Manifestação em Divinópolis

Comissão de Saúde da Câmara emite ofício que solicita ‘tranca’ na pauta das reuniões ordinárias até reabertura de academias em Divinópolis

A Comissão de Saúde do Município da Câmara Municipal emitiu um ofício nesta quarta-feira (12) informando que solicitou que as pautas das Reuniões Ordinárias no Legislativo sejam “trancadas” até a reabertura das academias, que estão fechadas desde a adesão ao “Minas Consciente“. Segundo o secretário da comissão, o vereador Delano Santiago (MDB), o ofício simboliza insatisfação quanto ao plano que permite a reabertura de bares e não admite o funcionamento das academias.

O ofício está sendo apreciado pelos vereadores e até o momento tem 11 assinaturas; quem assinou não foi revelado. Seis vereadores ainda não tiveram contato com o documento. O ofício deverá ser protocolado na Câmara quando tiver todas as assinaturas. Em seguida, será entregue à Prefeitura na quinta-feira (13). O Executivo não comentou sobre o fato até o fechamento da reportagem.





Divinópolis entrou na onda amarela do programa, cujo objetivo é realizar a retomada das atividades econômicas de forma gradual nos municípios mineiros durante a pandemia. Na onda amarela, as academias não podem funcionar, segundo a legislação do plano, que só permite o funcionamento do setor na onda verde.

Ofício

O documento foi apresentado na reunião desta quarta-feira pelo vereador Delano Santiago (MDB), que é secretário da Comissão de Saúde. Na ocasião ele foi categórico ao falar sobre a insatisfação dos parlamentares sobre o fechamento das academias.

“Estamos sugerindo o travamento da pauta enquanto o prefeito não abrir permissão para reabertura de todas as academias. A Comissão de Saúde exige que as academias sejam abertas. Não há justificativa técnica cientifica para fechar as academias. Abre o lugar que adoece e fecha o local que gera saúde”, declarou em plenário.

O documento sugere ainda a abertura do setor de forma imediata, assim que ele for entregue à Prefeitura.

Articulação com o Estado

O Estado negou nesta terça-feira (11) a possibilidade de reabertura das academias em Divinópolis nesta semana, após uma tentativa de articulação do secretário de Saúde, Amarildo Sousa, junto ao Comitê Estadual de Combate ao Coronavírus.

Um protesto foi realizado na segunda-feira (10) por cerca de 200 representantes de academias da cidade. Na ocasião, eles pediram a reavaliação das regras da onda amarela, que impede o funcionamento do setor.

De acordo com Amarildo, na próxima quinta-feira (13), ele fará uma nova tentativa para reabertura das academias junto ao Estado

“Vamos pedir novamente uma reconsideração das regras da onda amarela”, destacou.

Estado

Em entrevista coletiva nesta terça-feira, para falar sobre o avanço do coronavírus em Minas, o secretário adjunto de Saúde, Marcelo Cabral, disse que os municípios mineiros precisam seguir as regras atualizadas do plano, que não prevê a reabertura das academias na onda amarela

Manifestação

Quase 200 pessoas, entre donos e representantes de academias participaram na segunda-feira (10), da manifestação pedindo a reabertura do setor que está fechado desde a adesão do município ao Minas Consciente. A cidade está na onda amarela, que não permite o funcionamento dos estabelecimentos.

A manifestação ocorreu de forma pacífica e durou cerca de duas horas. Os manifestantes se reuniram às 14h30, na Praça da Catedral e finalizaram a passeata na Rua Minas Gerais, em frente à Secretaria Municipal de Saúde (Semusa), por volta de 16h15.

Segundo o representante do grupo de academias em Divinópolis, João Carlos Ribeiro, a manifestação reuniu 151 representantes do setor e 43 donos de academias.

“Nos unimos hoje para questionar o motivo de um setor que promove saúde estar fechado enquanto vários outros que promovem lazer e aglomerações estão abertos. Não queremos questionar o que está aberto, mas achamos injusto termos que fechar e pedimos a reavaliação desta fase do programa a qual Divinópolis se encontra”, destacou João Carlos.

O grupo que se concentrou na Praça da Catedral, seguiu pela Avenida Primeiro de Junho com cartazes e um carro de som. Em seguida, os manifestantes foram até a Rua Pernambuco e logo depois até a Avenida JK. O percurso foi finalizado na Secretaria de Saúde, na Rua Minas Gerais.

Minas Consciente

O programa “Minas Consciente” foi criado em abril deste ano para promover a retomada gradual das atividades comerciais e industriais que foram suspensas por causa da pandemia do coronavírus.

Com o objetivo de se adaptar ao atual momento da pandemia, o governo realizou consulta pública e, no dia 29 de julho, anunciou a reformulação do plano.

A principal mudança foi em relação às ondas, que foram reduzidas para três. Agora, as cores funcionam como um semáforo: onda vermelha, quando é permitido abrir somente serviços essenciais; amarela, quando serviços não essenciais também são autorizados; e verde, que incluem serviços não essenciais com alto risco de contágio.

Copyright © G1

Leave a Reply